imagem-1

Por Vanessa Callison-Burch, Gerente de Produto, Jennifer Guadagno, Pesquisadora, e Antigone Davis, Líder de Segurança Global

Há uma morte por suicídio no mundo a cada 40 segundos, e o suicídio é a segunda maior causa de morte entre as pessoas entre 15 e 29 anos. Especialistas afirmam que uma das melhores formas de evitar suicídios é fazer com que a pessoa enfrentando dificuldades ouça as pessoas que se preocupam com ela.

O Facebook está em uma posição única para ajudar a conectar as pessoas em dificuldade com aqueles que podem ajudá-la. Isso é parte do nosso esforço contínuo para ajudar a construir uma comunidade segura no Facebook e fora dele.

Hoje estamos lançando um recurso para as pessoas que estiverem pensando em suicídio, assim como de apoio a seus amigos e familiares: a ferramenta integrada de prevenção de suicídio no Facebook Live para ajudar as pessoas em tempo real.

No Facebook, se alguém publica algo que deixa você preocupado sobre o bem-estar dessa pessoa, você pode falar com ela diretamente ou reportar o post para nós. Temos times trabalhando ao redor do mundo, 24 horas por dia, 7 dias por semana, para revisar as denúncias, priorizando as mais sérias como as que envolvem possíveis suicídios. Nós oferecemos uma série de opções de apoio às pessoas que expressam pensamentos extremos como ferir a si próprio ou tirar a própria vida.

Por exemplo, nós incentivamos que as pessoas procurem amigos em dificuldades e também oferecemos sugestões sobre como iniciar uma conversa em situações extremas. Também sugerimos o contato com uma central de ajuda e oferecemos outras dicas e recursos para que as pessoas possam se ajudar nesses momentos difíceis.

Agora, nossos recursos para prevenção de suicídio estarão integrados ao Facebook Live. Pessoas assistindo um vídeo ao vivo terão a opção de falar diretamente com a pessoa transmitindo o vídeo e reportá-lo para nós. Também ofereceremos recursos para que a pessoa denunciando o vídeo possa ajudar seu amigo.

imagem-2A pessoa que estiver usando o Live verá um conjunto de opções enquanto estiver transmitindo. Agora elas podem entrar em contato com um amigo, com uma central de ajuda ou podem ver dicas. Se alguém que você conhece estiver em uma crise, é importante que você ligue imediatamente para os serviços de emergência. Você também pode visitar nossa Central de Ajuda para obter informações sobre como ajudar a si mesmo ou um amigo.

Além disso, com base no feedback de especialistas, estamos testando nos Estados Unidos um processo simplificado de denúncia que utiliza padrões de reconhecimento de posts previamente denunciados para suicídio. Essa abordagem de inteligência artificial fará a opção de denunciar um post sobre “suicídio ou automutilação” mais proeminente.

Também estamos testando padrões de reconhecimento para identificar posts como muito propensos a incluir pensamentos de suicídio. Nossas equipes revisarão esses posts e, se apropriado, fornecerão recursos à pessoa que publicou o conteúdo, mesmo que ninguém no Facebook tenha denunciado esse conteúdo.

Como dissemos acima, estamos iniciando esses testes nos EUA e continuaremos trabalhando em estreita colaboração com especialistas em prevenção de suicídio para entender outras maneiras pelas quais podemos usar a tecnologia para fornecer apoio a pessoas em dificuldade.

Os recursos para prevenção de suicídio estão disponíveis no Facebook há mais de 10 anos e temos desenvolvido essas ferramentas em colaboração com organizações de saúde como Save.org, National Suicide Prevention Lifeline, Forefront e Crisis Text Line, e com o suporte de pessoas que já pensaram ou tentaram se suicidar. Em 2016, expandimos a oferta desses recursos globalmente – com a ajuda de mais de 70 parceiros em todo o mundo – e aperfeiçoamos as ferramentas com base em novas tecnologias e feedback da comunidade.

No Brasil, estabelecemos em 2016 uma parceria com o Centro de Valorização da Vida, o CVV, que há mais de 50 anos ajuda a evitar situações de automutilação e suicídio. Com o auxílio de especialistas em apoio emocional e prevenção do suicídio no país, foi desenvolvido com o CVV um fluxo de respostas para ajudar tanto quem identifica um conteúdo preocupante quanto quem compartilha essas ideias.