Por Adam Mosseri, vice-presidente, Feed de Notícias

Sabemos que as pessoas querem ver informações precisas no Facebook – e nós também. Notícias falsas e rumores são nocivos para a nossa comunidade e tornam o mundo um lugar menos informado. Todos temos a responsabilidade de conter a disseminação de notícias falsas.

No Facebook, temos nos concentrado em três áreas-chave sobre esse tema:

  1. acabar com os incentivos econômicos, já que a maioria das notícias falsas são disseminadas por motivação financeira;
  2. desenvolver novos produtos para reduzir a propagação de notícias falsas, aumentar a diversidade de informações e facilitar o processo de denúncias de notícias falsas; e
  3. ajudar as pessoas a tomar decisões conscientes quando se deparam com notícias falsas.

Como parte de nossos esforços contínuos, trabalhamos com a First Draft, uma organização sem fins lucrativos que oferece orientação sobre como encontrar, verificar e publicar conteúdo verossímil no mundo online, em uma nova ferramenta informativa para ajudar as pessoas a identificar notícias falsas. Vamos apresentar essa ferramenta no topo do Feed de Notícias por alguns dias para todas as pessoas no Facebook em 14 países, entre eles Brasil, Argentina, Colômbia e México.

No Brasil, a ferramenta conta com o apoio do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio (ITS Rio) e da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji).

Quando as pessoas clicarem na ferramenta no topo de seus Feeds de Notícias, elas verão mais informações e recursos na Central de Ajuda do Facebook, com dicas sobre como identificar notícias falsas, por exemplo checando a URL do site, investigando a fonte da informação ou procurando por outras notícias sobre um mesmo assunto.

O Feed de Notícias é um lugar para comunicação autêntica. Melhorar o discernimento das pessoas sobre as notícias que elas consomem é uma prioridade global, e nós temos que fazer a nossa parte para que as pessoas tenham as informações que precisam para decidir em quais fontes elas confiam.

As notícias falsas vão contra a nossa missão de conectar as pessoas com as histórias que são mais significativas para elas. Estamos trabalhando continuamente nessa área e sabemos que temos mais trabalho a fazer.