Por Molly Jackman, Public Policy Research Manager

Após uma inundação, um incêndio, um terremoto ou qualquer outro desastre natural, as organizações de apoio e ajuda precisam de informações precisas, e cada minuto é fundamental para salvar vidas. Os canais tradicionais de comunicação muitas vezes não estão funcionando e pode ser necessário muito tempo e recursos para entender onde estão as pessoas que precisam de ajuda.

O Facebook pode ajudar essas organizações de apoio e ajuda ao oferecer um panorama mais completo sobre onde estão as pessoas afetadas, para que então essas organizações possam determinar onde recursos como água, comida e suprimentos médicos são necessários e onde as pessoas estão fora de perigo.

Por isso, hoje estamos introduzindo mapas que usam dados agregados e desidentificados do Facebook para ajudar organizações de apoio e ajuda a conseguir informações relevantes quando precisam responder a desastres naturais. Muitas dessas organizações trabalharam conosco para identificar quais dados seriam mais úteis e como eles poderiam ser usados após um desastre.

Esta iniciativa é resultado de nosso trabalho com o UNICEF, a Federação Internacional da Cruz Vermelha, o Programa Mundial de Alimentos e outras organizações. Trata-se de um exemplo de como a tecnologia pode ajudar a manter as pessoas seguras, uma de nossas cinco áreas prioritárias para ajudar a construir uma comunidade global.

Com base no feedback dessas organizações, estamos fornecendo vários tipos de mapas para auxiliar nos esforços de resposta a desastres, incluindo informações agregadas sobre a localização de pessoas que decidiram compartilhar no Facebook onde estão.

Os mapas de densidade de localização mostram onde as pessoas estão antes, durante e depois do desastre. Podemos comparar essas informações com registros históricos de localização, como estimativas de população baseadas em imagens de satélite. A comparação de tais dados pode ajudar as organizações de apoio e ajuda a compreender as áreas atingidas por um desastre natural.

Os mapas de movimentação ilustram as tendências de movimento entre diferentes bairros ou cidades durante um período de muitas horas. Ao compreender tais tendências, as organizações de apoio e ajuda podem prever melhor onde os recursos serão necessários, obter informações preciosas sobre evacuação ou prever onde o trânsito pode ficar mais congestionado.

Os mapas de Check-in de Segurança são baseados nos locais em que nossa comunidade usa a ferramenta de Check-in de Segurança, ou o Safety Check, para notificar amigos e familiares que estão seguros durante um desastre. Estamos usando dados desindentificados de maneira agregada para mostrar onde há mais ou menos pessoas que se marcaram como seguras, o que pode ajudar as organizações de apoio e ajuda a entender onde as pessoas estão mais vulneráveis e onde a ajuda é necessária.

Este tipo de informação pode ajudar organizações de apoio e ajuda a entender quais áreas foram as mais danificadas após um terremoto e onde as pessoas podem estar precisando de ajuda à medida que deixam suas casas e, eventualmente, retornam para suas residências.

Estamos compartilhando essas informações com organizações renomadas que têm a capacidade de agir a partir dos dados e respeitando nossos padrões de privacidade, iniciando pelo UNICEF, a Federação Internacional da Cruz Vermelha e o Programa Mundial de Alimentos. Estamos trabalhando com essas organizações para estabelecer um processo formal de compartilhamento desses dados de forma responsável com outras entidades de apoio e ajuda.

Pretendemos tornar possível que mais organizações e governos participem desse programa. Todos os pedidos de adição de novas organizações ao programa serão revisadas cuidadosamente pelo Facebook, incluindo os de organizações com expertise local.

Acreditamos que nossa plataforma é uma fonte de recursos que pode ajudar organizações de apoio e ajuda a auxiliar pessoas em necessidade de maneira mais eficiente. Em resumo, esperamos que estes dados ajudem as comunidades a terem a informação que elas precisam para se recuperar e se reconstruir na eventualidade de um indesejado desastre natural.