Por Tessa Lyons, Gerente de Produto

Historicamente, notícias falsas têm sido motivadas por questões econômicas ou políticas, e estamos vendo novas formas ganharem corpo no mundo online. Spammers podem usá-las para gerar cliques que se revertem em lucros. E a maneira como isso tem sido usado por adversários em eleições recentes e em meio a conflitos étnicos ao redor do mundo é repreensível.

Notícias falsas são ruins para as pessoas e ruins para o Facebook. Estamos fazendo investimentos significativos para cessar a disseminação desses conteúdos e para promover o jornalismo de alta qualidade e iniciativas de news literacy. Sou gerente de produto do Feed de Notícias com foco em notícias falsas, e eu trabalho com times na empresa para endereçar esse problema.

Nossa estratégia para impedir a desinformação no Facebook tem três pilares:

  • Remover contas e conteúdos que violem nossos Padrões da Comunidade ou políticas de publicidade;
  • Reduzir a distribuição de notícias falsas e outros conteúdos de baixa qualidade como caça-cliques;
  • Informar as pessoas, dando a elas mais contexto sobre os conteúdos que elas veem.

Essa abordagem desestimula as pessoas mal intencionadas que mais frequentemente divulgam histórias falsas. Isso diminui drasticamente o alcance dessas histórias. E ajuda as pessoas a se manter informadas sem prejudicar o discurso público. Vou explicar um pouco mais sobre cada pilar e o progresso que estamos fazendo.

Removendo contas e conteúdos que violam nossas políticas

Embora as notícias falsas não violem nossos Padrões da Comunidade, com frequência por trás delas existem violações de nossas políticas em outras categorias, como spam, discurso de ódio ou contas falsas, que nós removemos.

Por exemplo, se encontramos uma Página no Facebook simulando ser administrada por americanos mas que estão na verdade operando da Macedônia, isso viola nossa exigência de que as pessoas usem suas identidades autênticas e não se façam passar por outras. Nós derrubaremos toda a Página, eliminando imediatamente todas as postagens que eles fizeram que possam ser falsas.

Durante o último ano, aprendemos mais sobre como redes de pessoas mal intencionadas trabalham juntas para disseminar a desinformação, por isso criamos uma nova política para lidar com atividades inautênticas coordenadas. Nós também estamos usando machine learning para ajudar nossas equipes a detectar fraudes e aplicar nossas políticas contra spam. Atualmente, bloqueamos milhões de contas falsas por dia no momento em que elas estão sendo registradas.

Reduzindo a disseminação de conteúdo inautêntico e notícias falsas

Muito da desinformação que se espalha no Facebook tem motivação econômica, assim como o spam espalhado via e-mail na década dos anos 1990. Se os spammers conseguem fazer com que pessoas cliquem em suas histórias falsas e visitem seus sites, eles conseguirão ganhar dinheiro a partir da publicidade que é exibida. Ao tornar esses esquemas não lucrativos, nós eliminamos os inventivos que as pessoas mal intencionadas têm para espalhar notícias falsas no Facebook. Estamos trabalhando para identificar as táticas mais comuns dos spammers e reduzindo a distribuição desse tipo de história no Feed de Notícias. Nós já penalizamos manchetes caça-cliques e limitamos o alcance de links que levem para sites com conteúdo de baixa qualidade, também conhecidos como “ad farms”.

Nós também agimos contra Páginas inteiras e sites que repetidamente compartilham notícias falsas, reduzindo toda a sua distribuição no Feed de Notícias. E como nós não queremos fazer dinheiro a partir da desinformação ou ajudar aos criadores dessas histórias a ter lucro, essas Páginas não podem rodar anúncios na plataforma ou usar nossas ferramentas de monetização como o Instant Articles.

Outra parte de nossa estratégia em alguns países é fazer parcerias com verificadores de fatos para analisar e avaliar a precisão de notícias e posts no Facebook. Esses verificadores são independentes e certificados por meio da rede apartidária International Fact-Checking Network. Quando essas organizações classificam um conteúdo como falso, diminuímos significativamente a distribuição dessa história no Feed de Notícias. Em média, isso reduz o alcance do conteúdo em mais de 80%. Também usamos as informações dos verificadores de fatos para melhorar nossa tecnologia, para que possamos identificar notícias potencialmente falsas mais rapidamente no futuro. Estamos expandindo esse programa para mais países este ano.

Informando nossa comunidade com contexto adicional

Mesmo com estas iniciativas, sabemos que as pessoas ainda encontrarão conteúdo enganoso no Facebook e na internet de forma mais ampla. Para ajudar as pessoas a tomar decisões informadas sobre o que ler, acreditar e compartilhar, nós estamos investindo em iniciativas news literacy e desenvolvendo recursos que dão às pessoas mais informações diretamente no Feed de Notícias.

Por exemplo, nós recentemente lançamos uma ferramenta que fornece às pessoas mais informação sobre os veículos de imprensa e os artigos que elas veem, como o que diz a Wikipedia a respeito de um publisher. Outro recurso, chamado de Artigos Relacionados, exibe textos de verificadores de fatos imediatamente abaixo de uma matéria sobre o mesmo tópico. Se um verificador de fatos classificou uma história como falsa, avisaremos as pessoas que tentarem compartilhar aquele conteúdo para que saibam que há mais informações sobre o assunto. Também notificaremos as pessoas que já compartilharam a história no Facebook. No ano passado, nós criamos um recurso educacional para dar às pessoas dicas sobre como identificar notícias falsas, e financiamos a News Integrity Initiative, um consórcio criado para pensar em estratégias de longo prazo na área de news literacy.


À frente

À medida que ampliamos a luta contra a desinformação, nossos adversários continuarão tentando evitar ser pegos. Precisamos estar à frente deles, e não podemos fazer isso sozinhos. Nós estamos trabalhando com nosso time de Inteligência Artificial, aprendendo com acadêmicos, expandindo nossas parcerias com verificadores de fatos e falando com outras organizações – incluindo outras plataformas – sobre como podemos trabalhar juntos.

Notícias falsas têm consequências disruptivas e destrutivas em todo o mundo. Nós temos uma responsabilidade importante, e sabemos que temos muito trabalho a fazer para lidar com isso. Nós continuaremos a compartilhar como estamos progredindo e sobre nossa estratégia.