Em 7 de abril, Dia Nacional de Combate ao Bullying e à Violência na Escola, a SaferNet e o UNICEF lançarão uma campanha de conscientização pelo combate ao bullying focada em jovens e adolescentes. A campanha “Acabar com o bullying #édaminhaconta” foi desenvolvida em parceria com Facebook e Instagram.

Klara Castanho, PH Cortes e Lorenzo Ravioli, entre outros jovens embaixadores da campanha, convidarão as pessoas a contar suas experiências com o bullying em meio a histórias que saem do eixo vítima-agressor, para envolver também os que assistem passivamente ou ignoram situações de bullying. Os materiais da campanha abordarão temas como o que fazer ao identificar alguém que é alvo, se você for vítima de bullying e se lhe disserem que você pratica bullying.


“O objetivo é criar uma reflexão, estimulando a empatia e o respeito às diferenças”, afirma Natalia Paiva, gerente de Políticas Públicas do Instagram para a América Latina. “Construímos inúmeras ferramentas de controle e denúncia ao longo dos últimos anos e vamos continuar trabalhando com especialistas, pais e adolescentes, para dar continuidade à nossa luta contra o bullying, esse projeto é um exemplo disso”, conclui Paiva.

A campanha nasceu de um encontro com jovens realizado no Dia da Internet Segura, em fevereiro deste ano, organizado pelo Facebook, Instagram e Safernet, que reuniu ideias de 12 jovens sobre como abordar o bullying na internet e fora dela. Quem quiser participar também pode publicar no Instagram Stories utilizando os adesivos GIF exclusivos #édaminhaconta e usando os templates da campanha.

Para Rodrigo Nejm, diretor de educação da SaferNet “educar as novas gerações para um uso positivo das redes é urgente. Além de ensinar a reconhecer e denunciar as violências, precisamos estimular uma convivência cidadã, dentro e fora dos ambientes digitais. Isso envolve saber os limites das brincadeiras para que todos se divirtam e saibam identificar quando algo não está bem.”

“Considerando que adolescentes e jovens são socializados em ambientes sem fronteiras entre o presencial e o virtual, esta campanha propõe a construção de espaços livres do bullying, com dicas práticas tanto para quem já sofreu, como para quem praticou ou testemunhou a violência. Este é um convite para que adolescentes e jovens usufruam o seu direito à participação e à livre expressão, estabelecendo relacionamentos saudáveis e adquirindo conhecimento e resiliência para lidar com situações que afetam o seu desenvolvimento”, diz Gabriela Mora, Oficial de Programa – Desenvolvimento e Participação de Adolescentes do UNICEF.

Debates ao vivo no Facebook
Em 8, 9 e 10 de abril, três debates serão transmitidos ao vivo no Facebook, para discutir o tema sob três visões diferentes – dos adolescentes, dos pais e dos educadores. Os Lives poderão ser vistos nas Páginas do Facebook, da SaferNet e da UNICEF Brasil:

8 de abril – 17h
“O que fazer se você ou outra pessoa que você conhece são vítimas de bullying?”
Participantes: Klara Castanho, Domenica Dias e Lorenzo Ravioli.

9 de abril – 17h
“O que fazer se seu filho for alvo de bullying?”
Participantes: Marcos Mion, Camila Pimentel (mãe da MC Sophia), Alexandre Amaral (psicólogo) e Gabriela Mora (UNICEF).

10 de abril – 17h
“Como abordar temas sobre o bullying de forma efetiva com estudantes?”
Participantes: Rodrigo Nejm (SaferNet), Débora Aladim (especialista em educação), Josafá Moreira da Cunha (UFPR) e Rosa Lamana (Secretaria do Estado de São Paulo).

Central de Prevenção ao Bullying

Na Central de Segurança do Facebook as pessoas podem encontrar um portal com dicas para os pais, e uma Central de Prevenção ao Bullying, criada em parceria com Unicef e SaferNet Brasil. A Central traz informações, ferramentas e recursos para ajudar a comunidade, incluindo orientações sobre como iniciar conversas importantes para pessoas que sofrem bullying, para os pais que tiveram um filho que sofreu ou que foi acusado de bullying e para educadores que têm que lidar com essas situações.

“No Facebook, se alguém postar algo que você acredita ser ofensivo ou intimidador, isso pode ser denunciado para nós. Trabalhamos para combater o bullying em todas as suas formas, tanto pessoalmente quanto online, e reforçamos que não há lugar para isso em nossa plataforma”, afirma a gerente de Bem-Estar do Facebook, Daniele Kleiner.

Serviço de apoio às vítimas de bullying na Internet

Além de apresentar mecanismos de prevenção e de denúncia, a data também é uma oportunidade de discutir a importância do acolhimento às vítimas de casos de bullying, sobretudo na internet. A SaferNet Brasil mantém um serviço gratuito para esclarecer dúvidas, ensinar formas seguras de uso da internet e também orientar crianças, adolescentes, jovens, pais e educadores sobre situações de violência online como humilhações, intimidações, chantagem ou compartilhamento não autorizado de imagens íntimas. O HelpLine Brasil faz parte da rede global de canais de ajuda e orientação Child Helpline Internacional, presente em 133 países. O canal está disponível em dois endereços www.helpline.org.br ou www.canaldeajuda.org.br.